AmácioMazzaropi

Nos filmes do imortal Jeca do cinema nacional, a cachaça sempre esteve presente. “Dizem que a pinga faz a gente esquecer toda as maldades…” dizia o Jeca, vivido por Mazzaropi no filme “Uma pistola para Djeca” (1969). O fato é que a cachaça faz e sempre fez parte do imaginário brasileiro e, por isso, esteve sempre presente nos filmes de Mazzaropi.

Mazzaropi começou a carreira no circo, ainda muito jovem, contrariando a vontade dos pais. Depois foi para o teatro, rádio, televisão e se consagrou no cinema. Ao longo de quase 30 anos, fez um filme por ano, grande parte cuidando de todas as etapas do processo, da elaboração do roteiro à produção, incluindo, claro, o ator principal. O maior legado foi a capacidade de retratar com um humor único a vida do homem do campo que vivia então o processo de urbanização do país.

CONHEÇA

imagem-1imagem-2imagem-3imagem-4imagem-5